Em Pauta

O oceano tem um chamado

15 Mar, 2018 11:45
Compartilhar

O livro As águas-vivas não sabem de si foi o tema da primeira edição do Café Pauliceia do ano.

Existe um abismo entre todos nós, assim como de nós até o fundo do oceano. A autora Aline Valek, na obra As águas-vivas não sabem de si, explora essas relações que falham, muitas vezes, pela falta de um receptor.

O som é o guia da narrativa: o ouvir e o não ouvir definem as interações não só entre as personagens, mas seus destinos. Confinados a 300 metros abaixo do nível do mar, eles participam de uma expedição cujo objetivo é testar trajes de mergulho que suportam milhares de metros abaixo d’água e recolher informações para a pesquisa de um cientista especializado em estudar as propriedades acústicas do oceano.

À vontade, a artista explica o porquê de uma mensagem ser o fio condutor do livro – muitas vezes, definido pela categoria da ficção científica, mas que pode ser isso e muito mais que isso: como toda e qualquer arte é uma descoberta sobre “pessoas fazendo coisas”. “O doutor Martin (o cientista) está em busca de um som específico que ele ouviu, certa vez, em um estudo sobre baleias, que ele acredita ser a mensagem de uma forma de vida inteligente que existe no fundo do oceano”. Há apenas 5% de conhecimento científico sobre essa região do planeta, o que fez a autora inventar criaturas para esse mundo sem luz, de forma verossímil e empática.

E, ainda assim, a interação entre os seres humanos e não humanos é caótica: “os diálogos não estão na mesma frequência, são cortados, o que é reflexo do que acontece com a amplificação das redes sociais. Acho que está todo mundo, na verdade, falando sozinho e ninguém se ouvindo. Essa é uma das formas de contar essa história: falha na comunicação. As pessoas não se entendem, a gente não entende o que está ao nosso redor e nem é capaz de entender as outras criaturas. Será que a gente pode se considerar uma vida inteligente, se a gente não tem essa capacidade básica? ”, questiona Aline.

A obra é o chamado completo e forte ao leitor a se dispor a esse mundo abaixo dos pés, que, inóspito aos humanos, faz pensar sobre nós o tempo todo: uma mensagem que precisamos descobrir.

Café Pauliceia – com a presença do autor

Próximo evento: 10/4, às 19 h

Onde: AASP

Obra: As perguntas

Autor: Antônio Xerxenesky

Inscreva-se: https://goo.gl/7su33e

 

Fonte: Núcleo de Comunicação AASP

 

 

 

Últimas notícias sobre a AASP

Declaração Universal dos Direitos Humanos septuagenária e desafiada

10 Dez, 14:49

Declaração Universal dos Direitos Humanos septuagenária e desafiada

Eleito Terço do Conselho Diretor da AASP

05 Dez, 11:17

Eleito Terço do Conselho Diretor da AASP

Contribuição associativa antecipada 2019 com desconto

04 Dez, 11:19

Contribuição associativa antecipada 2019 com desconto