Depoimentos

A Associação dos Advogados de São Paulo está presente, há gerações, no cotidiano dos profissionais da classe, promovendo a evolução do cenário jurídico nacional. Confira o depoimento de advogados que têm a marca da AASP no exercício da advocacia:

Antônio Carlos Malheiros
Antônio Carlos Malheiros

"A AASP representa o melhor do meu passado como advogado. Era um de seus conselheiros quando fui para magistratura. Largo de São Francisco e Vila...

close
Antônio Carlos Malheiros

"A AASP representa o melhor do meu passado como advogado. Era um de seus conselheiros quando fui para magistratura. Largo de São Francisco e Vila Mariana. Já há alguns anos, com sede na Álvares Penteado, em prédio com o nome de Theotônio Negrão, que, com meu pai, formou uma das suas primeiras diretorias. Setenta anos de luta pela valorização da advocacia, com sucesso total. Sustentáculo ético para os advogados, é o perfeito exemplo de que, quando se trabalha com afinco e inteligência, cumpre-se a missão. E, aqui, a missão é a própria realização da Justiça." Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.

Carlos Alberto Reis de Paula
Carlos Alberto Reis de Paula

"A AASP é uma grande referência para os advogados, um porto seguro e motivo de orgulho para aqueles que a integram." Depoimento retirado do livro...

close
Carlos Alberto Reis de Paula

"A AASP é uma grande referência para os advogados, um porto seguro e motivo de orgulho para aqueles que a integram." Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.

Fernando Euler Bueno
Fernando Euler Bueno

"A OAB era uma instituição obrigatória, sem a inscrição na OAB não se podia advogar, e os serviços que ela prestava inexistiam. O Instituto dos...

close
Fernando Euler Bueno

"A OAB era uma instituição obrigatória, sem a inscrição na OAB não se podia advogar, e os serviços que ela prestava inexistiam. O Instituto dos Advogados era um instituto cultural. Então sentia a classe a urgente necessidade de uma entidade que pudesse dar apoio ao advogado para assuntos forenses e para práticos, e por isso a Associação foi criada: para que tivéssemos alguém que pudesse acompanhar as intimações pelo Diário Oficial, que pudesse nos prestar ajuda com oficiais de Justiça e com tradutores, que pudesse, enfim, auxiliar nossos escritórios de advocacia com competência. A Associação nunca passou por grandes dificuldades, porque o apoio dos que se reuniram para a fundação era inegável, e o que fosse necessário era facilmente arrecadado. Era um convívio agradabilíssimo, e cada um de nós estava sempre disposto a oferecer de si o que fosse possível. A Associação jamais teve propósitos políticos, de modo que a política interessava a cada um de seus sócios particularmente." Depoimento ao projeto Memória AASP, em 1 abril de 2005. Retirado do livro: Advocacia a trajetória da Associação dos Advogados de São Paulo – direção editorial e texto Cássio Schubsky – Editora Lettera.doc

Gilmar Mendes
Gilmar Mendes

"Sou um admirador do trabalho da AASP, reconheço seus préstimos, o atendimento que presta aos advogados, ao aprimoramento da profissão, a atenção para as questões...

close
Gilmar Mendes

"Sou um admirador do trabalho da AASP, reconheço seus préstimos, o atendimento que presta aos advogados, ao aprimoramento da profissão, a atenção para as questões institucionais. Acredito que a entidade merece todo o nosso reconhecimento, e não é por acaso que os advogados prestam a ela tanto apoio e tanta dedicação. Sem dúvida nenhuma, os próprios setenta anos indicam exatamente essa força, essa fortaleza, da AASP. Quero me congratular com todos os seus membros por tamanho êxito." Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.

José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro
José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro

"A AASP tornou-se a maior prestadora de serviços para o Advogado, cuja organização é um modelo a ser seguido na Advocacia. O pujante crescimento da...

close
José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro

"A AASP tornou-se a maior prestadora de serviços para o Advogado, cuja organização é um modelo a ser seguido na Advocacia. O pujante crescimento da AASP em setenta anos decorre da sua notável estrutura e profissionalismo. Festejamos o pleno exercício da cidadania com a exitosa trajetória da AASP." Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.

José Ephim Mindlin
José Ephim Mindlin

"Creio que a Associação dos Advogados teve, basicamente, um fundamento político – não tanto a defesa do exercício da profissão, mas a coligação de advocacia...

close
José Ephim Mindlin

"Creio que a Associação dos Advogados teve, basicamente, um fundamento político – não tanto a defesa do exercício da profissão, mas a coligação de advocacia interessada no futuro do país e na volta e permanência do sistema jurídico. Porque nós vivíamos com um tribunal de segurança, não havia habeas corpus, havia um arbítrio total do governo. A gente fez uma carta de intenções que era sobre a democratização. Éramos todos jovens – eu era dos mais jovens –, com a carreira e a vida pela frente. Predominava um entusiasmo e um idealismo muito estimulante. Lidar com pouco dinheiro é mais fácil do que lidar com muito dinheiro (risos). Havia a contribuição pessoal, cada um dava o que podia, realmente era bem modesto o orçamento inicial. Depois de uns bons anos de trabalho, a Associação foi crescendo e conquistou o respeito generalizado. Era um grupo idealista, isolado, mas que depois foi se impondo pela seriedade da atuação. Havia unidade de pensamento no repúdio à ditadura (do Estado Novo)." Depoimento ao projeto Memória AASP, em 1 abril de 2005. Retirado do livro: Advocacia a trajetória da Associação dos Advogados de São Paulo – direção editorial e texto Cássio Schubsky – Editora Lettera.doc

Marcos da Costa
Marcos da Costa

“A AASP é uma entidade representativa da advocacia e reconhecida pela história que protagonizou ao longo de sete décadas de existência e pelos serviços que...

close
Marcos da Costa

“A AASP é uma entidade representativa da advocacia e reconhecida pela história que protagonizou ao longo de sete décadas de existência e pelos serviços que vem prestando aos seus mais de 90 mil associados. Tornou-se uma parceira constante da OAB/SP na defesa dos interesses dos advogados e dos cidadãos, o que fortalece e valoriza a classe. Os serviços que presta se tornaram ferramentas indispensáveis ao exercício da profissão, propiciando inestimável contribuição ao aperfeiçoamento do direito e da Justiça, como temos testemunhado em diversas ocasiões. Quero parabenizar a AASP e seus dirigentes, pelo passado glorioso, que contribuiu para escrever a história da advocacia brasileira, e desejar à entidade um futuro igualmente promissor.” Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.

Marcus Vinicius Furtado Coêlho
Marcus Vinicius Furtado Coêlho

"Nos últimos setenta anos, a Associação dos Advogados de São Paulo vem contribuindo com todo o seu arsenal de ideias e a sua capacidade de...

close
Marcus Vinicius Furtado Coêlho

"Nos últimos setenta anos, a Associação dos Advogados de São Paulo vem contribuindo com todo o seu arsenal de ideias e a sua capacidade de mobilização para elevar o conceito da advocacia e permitir que os advogados atuem como sinônimos de justiça e garantia da paz social. Tornou-se, assim, um símbolo, uma trincheira de defesa dos direitos de uma classe que, por sua importância, traduz os mais altos valores da cidadania. Sem advogado, não há Justiça; sem Justiça, perdem-se todas as demais esperanças. A AASP atingiu um grau de maturidade que a torna uma das instituições mais respeitáveis em todo o país. Esse prestígio decorre, sem dúvida, do trabalho de seu corpo dirigente e funcional, sempre preocupado em aprimorar e difundir conhecimento por intermédio de programas de capacitação que não se circunscrevem a São Paulo. A Ordem dos Advogados do Brasil, de público, aplaude e reconhece o estímulo que esse trabalho representa para iniciativas de valorização da advocacia em todos os rincões do país." Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.

Murilo Antunes Alves
Murilo Antunes Alves

"Quem viveu o período do Estado Novo, de 1937 a 1945, deve ter sentido bem as consequências daquela fase. No rádio, por exemplo, o locutor...

close
Murilo Antunes Alves

"Quem viveu o período do Estado Novo, de 1937 a 1945, deve ter sentido bem as consequências daquela fase. No rádio, por exemplo, o locutor não podia falar de improviso, não podia dar notícias sem estar escrito. Quando o Estado Novo começou a enfraquecer, em 1941-1942, os profissionais de vários setores começaram a reagir. E uma das formas de reação era fundar associações de classe, porque havia associações (como no caso da Ordem dos Advogados), mas o governo federal fazia como que uma intervenção branca nesses órgãos. A gente começou a fundar entidades novas para defender o interesse da produção. Naquele ardor juvenil, participei de várias: fui fundador da Associação dos Cronistas Esportivos e da Associação dos Profissionais de Imprensa; fui presidente dos Repórteres Policiais, dos Cronistas Parlamentares; e a gente foi fundando associações... Até hoje sinto orgulho de ver até onde chegou a Associação. Fundamos a Associação dos Advogados mais como uma reação à intervenção de setores governamentais." Depoimento ao projeto Memória AASP, em 31 de março de 2005. Retirado do livro: Advocacia a trajetória da Associação dos Advogados de São Paulo – direção editorial e texto Cássio Schubsky – Editora Lettera.doc

Otto Ciryllo Lehmann
Otto Ciryllo Lehmann

"Nos idos de 1942, fui convidado por José Mindlin, meu amigo e vizinho de escritório na rua Boa Vista (no centro de São Paulo), para...

close
Otto Ciryllo Lehmann

"Nos idos de 1942, fui convidado por José Mindlin, meu amigo e vizinho de escritório na rua Boa Vista (no centro de São Paulo), para comparecer a uma reunião que iria se realizar na rua Barão de Paranapiacaba, sob a presidência do cunhado dele, dr. Walfrido Prado Guimarães, um advogado de bom nome e bom destaque na cidade de São Paulo. A ideia era organizar uma nova associação, que, sem concorrer com a Ordem dos Advogados, fosse mais um instrumento de defesa, sobretudo, do exercício da profissão. Na primeira mesa, na primeira reunião, teríamos sido oito ou dez advogados, não mais do que isso. No início, a coisa deu muito trabalho e muita despesa – tínhamos que contribuir com o aluguel, etc., até que a Associação fosse se formando. Eu, por exemplo, sou sócio remido, porque, numa ocasião, faltou dinheiro para os aluguéis, e fomos convidados a entrar com uma importância maior para resolver o problema de caixa. A gente via que a ideia era boa, que a semente havia sido bem lançada e que daria certo, como deu." Depoimento ao projeto Memória AASP, em 8 de junho de 2005. Retirado do livro: Advocacia a trajetória da Associação dos Advogados de São Paulo – direção editorial e texto Cássio Schubsky – Editora Lettera.doc

Roberto Ópice
Roberto Ópice

“Fui convidado a fundar a Associação dos Advogados de São Paulo pelo dr. Walfrido Prado Guimarães. Ele disse que estava faltando uma entidade que lutasse...

close
Roberto Ópice

“Fui convidado a fundar a Associação dos Advogados de São Paulo pelo dr. Walfrido Prado Guimarães. Ele disse que estava faltando uma entidade que lutasse pelos direitos do advogado, que soubesse enfrentar o Tribunal de Justiça, os magistrados, que soubesse enfrentar o Poder Legislativo, o Poder Executivo, quem quer que fosse. Não havia qualquer reflexo político na Associação, a coisa era genuinamente profissional. A razão de ser da criação da entidade foi exatamente dar força ao advogado no exercício da profissão, no seu relacionamento com as autoridades do Executivo, do Legislativo, com a sociedade. Não tinha nenhum colorido político ao meu ver. A OAB e o Instituto dos Advogados não preenchiam a finalidade de defender o exercício da profissão de advogar, tinham outra razão de ser, não esta que foi a inspiração da fundação da Associação dos Advogados. Os advogados foram compreendendo a finalidade maior da associação e sentindo que, prestigiando a entidade e ingressando no seu quadro social, davam mais força à sociedade. A assimilação da entidade pela classe não foi imediata, ela foi crescendo aos poucos.” Depoimento ao projeto Memória AASP, em 8 de abril de 2005. Retirado do livro: Advocacia a trajetória da Associação dos Advogados de São Paulo – direção editorial e texto Cássio Schubsky – Editora Lettera.doc

Sidnei Beneti
Sidnei Beneti

"Sempre ajuntando multidões, a AASP cresceu em cursos e seminários. Modernizou-se. Instalou-se em sede majestosa, preservando o Centro de São Paulo! Ultrapassou o estado de...

close
Sidnei Beneti

"Sempre ajuntando multidões, a AASP cresceu em cursos e seminários. Modernizou-se. Instalou-se em sede majestosa, preservando o Centro de São Paulo! Ultrapassou o estado de São Paulo e se tornou presença obrigatória em todo o Brasil. A AASP sempre foi querida. Viveu inventando coisas para facilitar a vida do advogado. Nasceu inquieta, com olhos para criticar, sugerir e aplaudir, e desassombrada em lutar. Sempre na linha de frente. Sou muito grato à AASP pelo que fez e faz pela advocacia e, por intermédio desta, pela Justiça em nossa terra." Depoimento retirado do livro AASP 70 anos - Gerações a serviço da advocacia, em janeiro de 2013.