Em Pauta

AASP e Direito com Carlos levam conteúdo jurídico com bom humor para as redes

29 Nov, 2018 11:49
Compartilhar

Batemos um papo com Carlos Magno, jovem advogado e novo parceiro da AASP, que se tornou referência como influencer jurídico nas redes sociais.

Criador do “Direito com Carlos”, sucesso das redes sociais com mais de 240 mil seguidores, 8 milhões de impressões mensais, e indicado como a quarta maior plataforma de entretenimento jurídico do Brasil, Carlos Magno foi na contramão da exposição tradicional da área.

Aos 23 anos, o jovem advogado sempre buscou compreender o funcionamento de decisões que interferiam diretamente na vida das pessoas; aos 15, motivado pelo inconformismo, descobriu sua aptidão para o Direito; tempos depois, ligou a câmera e deu a milhares de internautas o empurrão que faltava para superar o esperado Exame de Ordem, além de contribuir para o desenvolvimento pessoal e a performance profissional daqueles que o seguiam.

Carlos conta a seguir detalhes de seu interesse pela advocacia, de sua carreira como influencer digital, da recente parceria com a maior associação de advogados da América Latina e o que enxerga para o seu futuro profissional.  Acompanhe.

Interesse pela advocacia

Sempre me questionei sobre o funcionamento das coisas. Avistava uma briga de trânsito e não entendia por qual motivo um tinha razão e o outro não; via um patrão mandando embora uma grávida e não entendia legalmente quem estava certo. Essa curiosidade me trouxe a vontade de compreensão disso tudo. Ainda no Ensino Médio, a curiosidade foi aumentando; foi quando tive a oportunidade de fazer um curso técnico em serviços jurídicos, o que ampliou meus horizontes. Passei a estudar, ainda com 15 anos, Direito Civil, Direito Penal e Direito Constitucional. Além disso, presenciava minha mãe, advogada, indo e voltando dos fóruns com processos enormes nas mãos e isso também me brilhava muito os olhos. Tempos depois presenciei a defesa de uma grávida que havia sido demitida por justa causa. A gente conseguiu fazê-la voltar para o emprego e receber o salário dela, que sustenta seu filho; e essa função social me brilhava muito os olhos também. Vivenciando essa experiência tão jovem, tive a certeza de que era justamente isso que eu gostava. Saí do Ensino Médio direto para a faculdade e aquilo começou a dar certo.

E agora? Sou influencer.

Eu sempre fui um cara desinibido, conhecia várias pessoas e nunca tive problemas para me socializar. Querendo ou não, a galera nasce um pouco retraída, pois é natural da sociedade ser um pouco mais tímida. Comecei a fortalecer isso um pouco mais em mim quando eu estava no final da faculdade. Ao estudar para o Exame de Ordem, pensei em como expor para a galera como eu estava fazendo isso, o que estava dando certo ou errado. Quanto mais eu divulgava isso, mais o pessoal se identificava e interagia. Logo as minhas dicas viralizaram, para se dizer assim. A galera replicava aquilo de forma gratuita e espontânea. A partir do quarto ano da minha faculdade, as coisas começaram a tomar uma proporção inesperada. Ninguém espera 200 mil seguidores no Instagram, de uma forma tão genuína, da noite para o dia. Digo que, quando você coloca amor e paixão, as coisas tendem a prosperar de uma forma muito mais fluida e natural. No fim da faculdade, eu dava dicas essenciais para o Exame de Ordem e, vendo que isso dava certo, passei a aplicar algumas teorias de desenvolvimento pessoal para melhorar aspectos não só acadêmicos, mas profissionais e espirituais; hoje a galera me procura tanto para o conhecimento acadêmico quanto para o desenvolvimento pessoal, profissional e para uma melhor performance como advogado e para prestar concurso público.

A parceria com a AASP

Minha mãe sempre falou muito bem da Associação. Quando estamos na faculdade, temos aquela ideia do profissional com mais idade falando da AASP, pensamos que se trata de uma filiação obrigatória, como se fosse uma conta para pagar como qualquer outra. Mas eu nunca havia tido a oportunidade de ter esse contato um pouco mais próximo. Quando você tenta trazer essa energia boa, transparece um sentimento mais genuíno, a sorte surge de uma forma muito natural. Acredito muito nisso. Quando recebi o contato da AASP, algo que eu já vislumbrava de longe, me entreguei. Digo que, quanto mais as pessoas conhecem a AASP, mais se apaixonam. Sinto que a missão dela se assemelha à minha desde que comecei tudo isso com o Direito com Carlos. Uma missão sincera, de querer ajudar o próximo, de ver o resultado. Vemos isso de uma forma muito bacana na AASP. Isso é o diferencial para várias outras associações. Muitas vezes você se depara com uma carga negativa política que na AASP você não vê. Sinto apenas uma carga de querer ajudar o próximo e fazer a diferença na vida das pessoas.

Enxergando o futuro

O meu propósito foi sendo ampliado e desenvolvido à medida que alguns objetivos foram sendo conquistados, mas eu percebi algo em mim que provavelmente será para o resto da vida. Eu encontrei a minha luz em Deus. A minha missão em Deus é realmente transformar a vida das pessoas. Eu carrego isso comigo cada vez mais de uma forma profunda. Mais do que uma perspectiva acadêmica, profissional ou pessoal, mas uma perspectiva espiritual. A minha ideia é desenvolver a pessoa, transformá-la em todos os pilares possíveis, para que consiga um resultado.

Por trás do Direito com Carlos

Hoje eu tenho duas pessoas que me ajudam. Às vezes as pessoas pedem dicas de problemas muito complexos. Depressão por reprovação, graves problemas de saúde. Essas mensagens mais profundas eu procuro sempre responder pessoalmente, passando o que venho estudando, o que venho trabalhando e as experiência que venho adquirindo. Como a demanda está crescendo de uma forma bem significativa, tenho essas duas pessoas que me ajudam a receber esses casos e passar o que de mais complexo há para mim.

Números

Durante o período eleitoral, estávamos recebendo de 100 a 120 directs por dia nas redes. Eram realmente temas muito polêmicos devido a essa polarização tão antagônica da política relacionada ao Direito, o que traz debates muito acalorados. Hoje em dia, nas redes sociais, as pessoas incorporam o personagem de um juiz, todos criam coragem para expressar uma opinião. Isso não é certo, mas também não é errado. Não é expressar apenas um lado, de uma forma convicta, e achar que deve ser exposto. Quando você coloca isso na rede social, acaba sendo muito complexo. Como expressar isso, por exemplo, em um vídeo? É um tema muito profundo e, por isso, causa uma demanda maior de directs, de e-mails (uma média de 400 por semana), principalmente quando divulgamos conteúdo sobre o Exame de Ordem. Quando lançamos esse material, temos uma page view de 60 mil visualizações no site do Direito com Carlos. Nossa média é de 15 a 20 mil page views por mês, sem lançamentos novos. Hoje trabalhamos muito forte com a galera do Exame de Ordem, que precisa da aprovação, e também com aquela pessoa que, de alguma forma, almeja o desenvolvimento pessoal, porém voltado a conseguir acordar cedo e ter uma produtividade maior.

Receptividade da AASP

O pessoal até conhece o nome AASP. Sabe que é uma Associação de grandes nomes, e talvez, por ter grandes nomes, tem mais receio de entrar. Imagina algo como uma “associação secreta”. Será que eu posso estar no mesmo ambiente que aquele advogado superconhecido? Será que posso estar no meio de tantas celebridades no mundo jurídico? São as perguntas que fazem a si mesmos. O nome da AASP é tão forte que as pessoas que se sentem minimizadas diante disso pensam que não podem se inserir no meio. Sinto isso. Então, essa parceria do Direito com Carlos com a AASP se formou justamente para quebrar a barreira e mostrar que esse pessoal, que tem um conhecimento mais aprofundado do Direito, tem as portas abertas para todos. Isso não tem preço. Acredito que essa parceria irá trazer cada vez mais fluidez para que as pessoas consigam entender que o processo de aprendizado é completamente pautável e acessível.

Fonte: Núcleo de Comunicação AASP

 

 

 

 

Últimas notícias sobre a AASP

Diretores da AASP reúnem-se com o presidente do TJSP

21 Mar, 18:21

Diretores da AASP reúnem-se com o presidente do TJSP

Proibido por lei o casamento para menores de 16 anos

19 Mar, 17:55

Proibido por lei o casamento para menores de 16 anos

Nota de repúdio

15 Mar, 17:56

Nota de repúdio